Buscar
  • Comercial

Indícios de Problemas e Fragilidades da sua Engenharia Hospitalar

A Engenharia de Manutenção Hospitalar, normalmente vinculada à Administração Geral do Hospital, tem como objetivo principal manter em perfeito funcionamento as instalações e equipamentos. Desta forma, fica responsável por toda a infraestrutura hospitalar tais como: edificação, qualquer tipo de instalação predial, obras e reformas.

Alguns eventos, constantes ou intermitentes, percebidos nas instalações e utilidades hospitalares, normalmente representam indícios de possíveis problemas ou fragilidades que devem ser percebidas com urgência pela Engenharia de Manutenção da unidade. Estes eventos podem se manifestar, por exemplo, em Instalações Elétricas ou em falhas nos equipamentos médico-hospitalares. Tais eventos podem ter sido causado por problemas resultantes em casos de ampliações e reformas não devidamente projetadas. Cabe atentar para possíveis problemas de geradores, estabilizadores e nobreaks.

As redes de Gases Medicinais e Vácuo Clínico podem apresentar problemas de suprimento reserva de O2, muito identificados nesta pandemia do Corona Vírus, e outras anomalias que, além de representarem riscos à saúde dos pacientes, podem danificar os equipamentos de suporte à vida, reduzindo a sua vida útil, ou gerando uma obsolescência técnica e operacional precoce.


Os Sistemas de Climatização e Refrigeração devem ser preditiva e preventivamente acompanhados para evitarem diversas não conformidades na operação da unidade predial, devem ser evitados, por exemplo, temperatura e umidade sem controle em salas de equipamentos de imagem, a fim de evitar parada total ou parcial dos equipamentos.

Não é incomum observarmos problemas relacionados aos sistemas que entregam água quente as instalações Hidrossanitárias e de Combate e Detecção a Incêndio dentro das unidades hospitalares. Estes tipos de evento podem gerar problemas em autoclaves tais como: perda de processos, não atingimento de temperatura e vácuo, queima de resistências, travamento de portas. A baixa qualidade da água de alimentação de autoclaves e equipamentos de lavanderia acarretam inúmeros casos de perda com necessidade de troca de parte, corrosão ou falha.

É importante não se acomodar com os problemas sistêmicos existentes nos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS), englobados como parte dos processos perdas e falhas intrínsecas, mas que na realidade se tratam de erros operacionais ou vícios construtivos, que necessitam ser resolvidos através da utilização das boas práticas de Engenharia, bem como do atendimento a requisitos construtivos dos equipamentos e normativos dos comitês da ABNT.


Ficou curioso sobre o tema?


Baixe o artigo na íntegra produzido pelo nosso Gestor de Negócios e Especialista em Engenharia Hospitalar, Yuri Araújo clicando aqui ou leia diretamente do seu Linkedin.

77 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo