Buscar
  • Comercial

A ENGENHARIA CLÍNICA NA SEGURANÇA AO PACIENTE







Com o aparecimento de novas doenças observou-se a necessidade de cuidados intensivos e de isolamento de pacientes, logo a arquitetura hospitalar precisou de instalações mais complexas. Esta mudança ocorreu com o tempo de forma gradativa e trouxe maior segurança tanto ao paciente quando aos profissionais e circulantes do hospital. Em paralelo a Bioengenharia se desenvolve trazendo ainda mais rigor nas instalações, o que representa um aumento nos custos das implantações dessas unidades.

(LUCATELLI; OJEDA, 1998)

As novas tecnologias podem representar riscos à saúde quando não são instaladas e mantidas devidamente. Neste contexto, foi-se questionado as consequências que o mau funcionamento de um equipamento poderia causar no momento da assistência ao paciente, pois muitos destes episódios geram vários tipos de prejuízo, envolvendo até ações legais quando cabíveis. Por mais que acidentes deste tipo tenham sido frequentemente registrados em países desenvolvidos, quem precisa ser tratado em hospital utiliza recursos cada vez mais caros e sofisticados. Estes recursos precisam estar em perfeito estado de funcionamento, pois a má operação pode representar a perda de uma vida humana.

(MIQUELIN, 2004)

A gestão do parque de equipamentos de um hospital é fundamental para a segurança de sua assistência à saúde e ao longo dos anos tem se observado o impacto desse serviço, especialmente quando se trata de Segurança ao Paciente.

Mas como garantir o trinômio: Desempenho, Segurança e Confiabilidade?

Precisamos observar que os diversos processos de uma Engenharia Clínica com Qualidade são completamente dependentes do equipamento, da infraestrutura que o cerca e da qualificação do seu operador. Neste momento a Arquitetura Hospitalar desempenha um papel fundamental, pois a ela cabe, conforme Jarbas Karman: "Incorporar à futura instituição requisitos arquitetônicos, construtivos, de instalação e de funcionamento, capazes de viabilizar, facilitar e tornar econômica, racional e mais segura a futura manutenção do hospital".

A aproximação de profissionais com experiência reconhecida, procurando despertar em cada um dos setores da Saúde no Brasil a riqueza da multidisciplinaridade desta área e a importância da troca de conhecimentos e experiências vividas, com integração humana e tecnológica no ambiente, é sem dúvida, o melhor caminho para os espaços de saúde nos cenários futuros.



O texto acima foi publicado no CONGRESSO BRASILEIRO PARA O DESENVOLVIMENTO PARA O EDIFÍCIO HOSPITALAR pelo nosso gestor de negócios Yuri Araújo. Para ter acesso aos anais com este texto na íntegra : Clique aqui



76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo